Por Que Você Deve Investir Em Treinamento?

treinamento

Treinamento de equipe: uma tendência em crescimento

Ano após ano, percebemos a valorização do treinamento dentro das empresas. Em 2018, a indústria foi o setor que mais realizou atividades entre os colaboradores, calculando um total de 24h por funcionário. Já nas empresas multinacionais, o número é maior, chegando à estimativa do dobro de horas a mais por colaborador. Entretanto as empresas do setor público são as que menos treinam, registrando apenas 15h anuais por funcionário.

Segundo esses dados, podemos nos questionar qual a importância do treinamento dentro das empresas. No Brasil, entre os principais assuntos dos programas de treinamento estão o atendimento ao cliente, coaching e comunicação. E destinados aos setores administrativos, comercial e, por fim, ao operacional. E assim, percebemos a valorização do compartilhamento de conhecimento entre líderes e colaboradores. Ademais essa perspectiva também é percebida ao analisar dados e gráficos. É notório uma tendência na terceirização nas atividades de treinamentos, que marca também uma tendência crescente para os próximos anos.

Os resultados

Cada profissional de T&D tem gerenciado, em média, 770 colaboradores. Este número vem crescendo sistematicamente ano a ano, tendo atingido quase o dobro da quantidade de colaboradores gerenciada em 2014. Em 2019 o crescimento de 47% na média de empresas brasileiras com universidade corporativa, em relação ao ano anterior.

Segundo pesquisas realizadas ao final das atividades, percebeu-se que 78% das ações de treinamento têm avaliação de aprendizado, que verifica se o aluno aprendeu, ou houve ganho de conhecimento com o treinamento. Já 12% dos projetos avaliam que o profissional aplicou o conhecimento. Enquanto 5% dos projetos têm avaliação de qual foi o impacto no negócio e por fim, 2% analisam se houve retorno sobre o investimento.

Os desafios

Para algumas empresas o treinamento realizado fora do expediente ainda é questão delicada. Visto que em torno de 40% das empresas voltadas aos setores da indústria, do comércio e de serviços realizam as atividades de treinamentos no mesmo horário do expediente. Dessa forma tudo isso é justificado por meio do banco de horas.

Só para ilustrar, os cursos obrigatórios realizados fora do horário de trabalho são considerados hora extra para 38% das empresas dos três setores. Para os cursos não obrigatórios, quando os fazem, em torno de 30% das empresas os consideram como carga horária não remunerada.E dessa forma, cria-se uma barreira que dificulta o aprendizado e a aproximação entre colaboradores e liderança.

Deixe uma resposta

catorze + dez =