O que preciso para iniciar uma gestão de cargos e salários?

Há várias formas de motivar colaboradores dentro de uma empresa além do dinheiro, mas o pagamento sempre será um dos pontos centrais nas ações da equipe. Se a faixa salarial de uma função não está de acordo com as expectativas individuais ou da equipe, a tendência é que ela perca engajamento. E uma forma de resolver isso é através de uma gestão de cargos e salários bem desenvolvida.

Talvez você já tenha ouvido falar nestas práticas, mas não saiba muito bem como implementá-las dentro do seu negócio. Não se preocupe, pois vamos falar um pouco mais sobre o que ela significa e como aplicá-la em seu negócio. Acompanhe:

 

Em que consiste a gestão de cargos e salários?

Diferente de um plano de carreira, que busca a linha de crescimento que mais agrada o candidato, a gestão de remuneração é bem mais prática. Ela busca estabelecer quais são os cargos disponíveis na empresa, com seus requisito e atribuições, quais são as faixas salariais correspondentes e os modelos de remuneração quer seja fixo ou variável, ou uma combinação de ambas. Dessa forma, quando alguém é contratado ou transferido, a empresa saberá como será sua folha de pagamento.

 

Como colocá-la em prática?

Como já explicamos, fazer a gestão de cargos e salários pode parece bem simples. Porém, sua implementação pode ser um pouco mais difícil. Para te ajudar, separamos aqui 4 passos básicos que você pode seguir:

 

1. Identifique as funções existentes

O primeiro passo é começar com uma autoanálise: quais são os cargos disponíveis na empresa; quais os requisitos que cada um deles exige; quais são as restrições profissionais para cada função; quantas delas exigem uma categoria separada e quantas podem ser agrupadas.

Depois de levantar todos esses dados, você pode criar uma lista de cargos e estabelecer uma hierarquia mais eficiente entre eles, para que todos os processos ocorram com o mínimo de intervenção e desperdício.

 

2. Avaliação e classificação de cargos:

Esta etapa servirá para determinarmos quais os cargos que são equivalentes entre si. Ela é feita através de metodologia estatística de pontos baseada no manual de avaliação desenvolvido.

Organiza-se um Comitê de Avaliação com a participação de colaboradores representativos na empresa, conhecedores dos cargos. Desta forma é feita a correção de todas as distorções na avaliação de cargos internos.

Também ficará mais nítido, para todas as lideranças, os motivos pelos quais um cargo possui uma remuneração maior do que o outro.

Toda esta avaliação será realizada com modelos matemáticos e a utilização de estatística aplicada. Isso também incluí correlações matemáticas. Trata-se de uma etapa eminentemente técnica, feito por um profissional especialista.

 

3. Definição da estrutura salarial:

Nesta etapa serão definidas as tabelas salariais e níveis hierárquicos de cada cargo. Bem como os salários de admissão e os demais méritos com percentual médio de 5% entre cada um deles.

 

4. Apresente este plano para os colaboradores da empresa

Após ser definida as etapas anteriores o plano deve ser comunicado as lideranças, para que estejam habilitadas para a gestão do mesmo em conjunto com o Analista de Cargos e salários da empresa.

5. Formalize tudo em um documento

Por fim, você deve ter todos esses parâmetros em um único documento, de forma detalhada e precisa. E, claro, nada te impede de revisar este documento no futuro, caso o contexto mude.

Com estas informações, você já pode começar a colocar em prática sua gestão de cargos e salários. Se quiser se capacitar na área, conheça nossos cursos.

 

 

Deixe uma resposta

quinze − 13 =