O que o futebol tem a ensinar sobre o recrutamento e seleção?

Durante a última copa, foi possível ver o desempenho de alguns dos melhores jogadores do mundo em primeira mão. Mas, além disso, também ficou evidente como a composição das equipes afetou o desempenho de cada time. E, considerando o ponto de vista de um profissional de RH, não é difícil correlacionar o processo de recrutamento e seleção e o futebol.

Ao pensar nesse esporte como uma atividade empresarial e nos times/seleções como equipes que atuam nesse mercado, a escolha dos jogadores se torna uma boa metáfora para a seleção de candidatos em uma empresa. Diante dessa lente, é possível tirar algumas lições básicas que podem ser aplicadas em outros contextos de trabalho.

Por isso, podem-se tirar, ao menos, 3 lições do contexto do futebol para o processo de recrutamento e seleção em uma empresa.

 

O jogador pode ser bom, mas é o time que vence

Um time de futebol é composto, em primeira análise, por 11 jogadores, os quais se encontram no campo durante a partida. Porém, além deles, também há os reservas, a equipe de apoio, técnico, médicos, entre muitos outros profissionais que proporcionam melhores resultados para os que atuam na linha de frente.

De forma similar, o processo de seleção do RH não pode ser feito considerando apenas qualidades individuais, mas, sim, como elas podem ser usadas em benefício do todo. Boa capacidade individual é importante, mas ela deve ser aplicada em complemento aos demais membros. Mesmo aqueles considerados “artilheiros” dentro de uma equipe necessitam de todo um preparo e apoio para produzir seus resultados..

 

A melhor escalação também depende do adversário

Mudando a perspectiva dessa metáfora sobre a escolha dos 11 jogadores que estarão em campo, quais seriam os critérios de recrutamento e seleção aqui aplicados? A habilidade individual dos jogadores e seu entrosamento ainda são relevantes. Mas, agora, há outro time, com suas próprias táticas, que precisa ser levado em conta.

Nesse contexto, o “adversário” da empresa seria seu conjunto de objetivos e as tarefas que precisam ser cumpridas para alcançá-los. A escolha correta dos integrantes do time dependerá, além disso, do tipo de desafios que precisarão enfrentar. Mesmo o melhor jogador/profissional pode não ser o mais qualificado para lidar com alguns contextos.

 

Para escolher um candidato, você precisa vê-lo em ação

Antes de determinar se um jogador iniciará sua carreira, é feita uma bateria de testes para avaliar sua capacidade. Não basta uma entrevista perguntando sobre sua atuação passada. Da mesma forma, durante o processo de seleção, é necessário testar os conhecimentos do candidato.

Há várias formas de fazer isso, tanto no futebol quanto nas empresas. O exemplo mais comum é criar uma simulação, permitindo uma análise do profissional na prática. Tal tarefa pode ser criada tanto individualmente quanto em grupo. De tal forma que também permitiria uma análise de outras capacidades, como o trabalho em equipe.

A partir das lições tiradas do futebol, é possível aprimorar bastante o trabalho de recrutamento e seleção. Para aprender mais sobre esse tema e continuar elevando sua qualidade, basta conhecer o curso de Analista de Recrutamento e Seleção da ABRH-RS e tirar todas as suas dúvidas.

 

 

Deixe uma resposta

4 × três =