Como superar as dificuldades na implantação da educação corporativa

A implantação de práticas de educação corporativa pode trazer uma grande quantidade de vantagens e benefícios para uma empresa.

Dentre essas vantagens podemos mencionar a evolução contínua da qualificação profissional dos funcionários e gestores da empresa. Outro benefício é o aumento de produtividade, vendas, faturamento e lucratividade decorrente da educação corporativa.

No artigo sobre o que é a educação corporativa, apontamos mais algumas vantagens proporcionadas por essa abordagem.

No entanto, a implantação dessa educação ainda encontra algumas dificuldades nas empresas. Então, neste artigo, vamos conhecer algumas dessas dificuldades e desafios, assim como a forma correta para superá-las.

 

Melhorar a adequação e prática dos conhecimentos adquiridos

Cada vez mais empresas estão adotando a educação corporativa em seus negócios. No entanto, um grande desafio, que tem inibido outras tantas organizações a adotarem esse processo em seus negócios, está nos resultados sequenciais à prática.

Não são raros os casos de funcionários, ou mesmo de toda a equipe, encontrarem dificuldades para se adequar aos conhecimentos obtidos. E por consequência, possuem problemas para aplicar os mesmos conhecimentos na prática de modo eficiente.

Então, é importante pontuar que isso ocorre principalmente pela falta de cuidado da empresa em propiciar uma estrutura adequada ao desenvolvimentos dos funcionários após um treinamento.

Portanto, cabe a empresa a tarefa de não apenas oferecer conhecimento através da educação corporativa, mas também a estrutura adequada para os funcionários colocarem em prática o que aprenderam.

 

Mensurar resultados da educação corporativa não é uma tarefa fácil

Um outro empecilho que muitas empresas encontram no processo de educação corporativa, que as desmotiva quanto sua implantação, é a  falta de utilização de métricas e indicadores. Pois, apesar de existirem formas de mensurar, nem sempre as empresas utilizam.

Alguns profissionais de RH ou gestores de pessoas e equipes, podem já conhecer uma base do processo. Assim, já criam uma imagem completa do seu funcionamento.

Em minutos, apenas ouvir o conceito dessa abordagem gera todo uma linha de eventos vistos como consequências consolidadas do método. Mas que simplesmente não podem ser devidamente medidas. Ou seja, cujos resultados dos treinamentos e cursos não podem ser checados.

O que é algo fácil de se resolver. Basta que a equipe ou funcionário, que está responsável a educação corporativa na empresa, teste os resultados dos funcionários após os treinamentos.

Que pode ser feito, por exemplo, por meio de testes práticos, questionários, provas teóricas ou qualquer outro meio avaliativo.

 

Falta de investimentos consistentes para solidificar o desenvolvimento da abordagem

A educação corporativa possui o objetivo de estimular uma cultura de aprendizagem e desenvolvimento contínua.

E portanto, demanda um investimento consistente para evoluir. Tanto em termos de facilidade de assimilação dos treinamentos por parte da equipe, quanto de melhora nos resultados entregues.

No entanto, muitos empresários passam a enxergar, rapidamente, essa abordagem como um gasto desnecessário para a empresa. Interrompendo em pouco tempo, ou aumentando o intervalo de tempo, dos investimentos em educação corporativa.

Isso leva a empresa a ter colaboradores sempre defasados, e que não conseguem aumentar a produtividade da empresa em igualdade à concorrência que investe forte na área.

A solução aqui está em compreender melhor como esse investimento dá seu retorno e manter o fluxo sempre ativo e com o peso necessário.

Para que você saiba avaliar corretamente o quanto os investimentos feitos na educação corporativa estão dando de resultados, leia nosso próximo artigo. Ensinamos algumas formas de como medir os resultados gerados pelos investimentos da empresa na educação corporativa.

 

Deixe uma resposta

11 − onze =