“Visão de futuro é fundamental para as empresas” afirma Luiz Serafim, da 3M | ABRH RS

“Visão de futuro é fundamental para as empresas” afirma Luiz Serafim, da 3M

 

O CONGREGARH 2019 recebeu na tarde desta sexta-feira (17) o Head de Marketing da 3M, Luiz Serafim. Na ocasião, o autor do livro “O Poder da Inovação” falou sobre como alavancar a inovação das organizações. Há mais de um século no mercado, a 3M é um case de sucesso tratando-se de transformações.

 

Para Serafim, a inovação passa pela criação de valores. Quando se encontra soluções para os problemas dos consumidores, quando o produto criado é melhor, e não igual, ao que já existe no mercado. O material precisa criar valor e gerar impacto, destacou. “Mas, para descobrir o que é valor para o usuário, eu preciso ir até onde ele está, estudar o contexto. É preciso arregaçar as mangas, observar o que está acontecendo, estar lá dentro, para então gerar valor”, falou Serafim.

 

“Para ser uma organização inovadora, é preciso construir um sistema com diversos ingredientes, no qual as pessoas são o fermento”, frisou o palestrante. Para o head de marketing da 3M, os funcionários precisam estar realizados pessoalmente para levarem a inovação para o meio profissional. “São as pessoas que fazem a inovação acontecer. E a realização humana abre portas, cria conexões, repertórios. Assim, elas terão um comportamento inovador e criativo em todas as áreas da vida, inclusive na empresa”.

 

Entre os atributos, segundo Serafim, as empresas precisam ter boas lideranças, visão de futuro, competência, entender os clientes, possuir um ambiente de inovação. Entretanto, ressaltou que as companhias nunca terão um sistema perfeito. Mas é fundamental que elas tenham a consciência do sistema e atuem constantemente nas áreas para aprimorarem o trabalho. “É uma jornada eterna, porque as condições sempre vão mudar, é um caminho sem volta”, disse.

 

Serafim contou que  para ser uma empresa inovadora, a 3M procura entender os clientes e usuários que dependerão dos serviços oferecidos e produtos fabricados. Assim como os funcionários, que têm autonomia para pensarem em diferentes iniciativas e trabalham em colaboração. “Toda empresa inovadora precisa ser colaborativa. Não se pode proteger o conhecimento, mas sim, compartilhá-lo”.

 

Para as empresas se manterem na era das transformações digitais é necessário que tenham uma visão de futuro e planejamento de onde desejam chegar. Buscar conhecimento, tentar potenciais produtos e gerar valor. “Inovação é olhar para o futuro, explorar para onde se deseja ir, basear-se em dados, ter feeling, fazer apostas. Algumas coisas dão certo, outras não”, finalizou Serafim.

Mantenedores

Apoiadores institucionais