Comportamento e atitude nas redes sociais podem definir contratação

 

Cada vez mais os recrutadores usam as redes sociais como critério de avaliação na hora de escolher um novo funcionário. Não apenas para verificar questões profissionais, mas, principalmente, para conhecer o comportamento pessoal e algumas atitudes do candidato. A rede mais visitada é o LinkedIn, que é voltada a contatos profissionais, formação e vagas de emprego. O segundo mais visitado é o Facebook, mesmo sendo visto com uma rede mais pessoal.

A vice-presidente de Expansão da ABRH-RS, Simone Kramer da Silva, explica que não apenas os recrutadores olham as redes, mas os gestores também buscam mais informações sobre currículo, projetos, comportamentos, hábitos e outras atividades do futuro colega. “Um cliente, recentemente, tinha uma vaga para o horário noturno e olhava no Facebook o quanto o candidato saía à noite. Pois, se esse é um hábito efetivo, o gestor acredita que dificilmente o candidato ficaria satisfeito em trabalhar sempre neste período”, exemplifica.

Os contratantes também levam em conta como o futuro funcionário se posiciona em relação a assuntos polêmicos como política, religião, fotos constrangedoras, entre outros. As condutas mais observadas são em relação a comportamentos preconceituosos e agressivos.

Simone destaca alguns pontos importantes para que a rede social não seja uma barreira para seu desenvolvimento profissional. Antes de postar, se pergunte: Qualquer um pode ver o que estou postando? É esta a ideia sobre mim que quero passar aos outros? Qual meu objetivo nesta rede social? Por fim, nunca esqueça que, quase sempre, todos têm acesso às suas postagens ou interação nas redes sociais.

 

 

Mantenedores

Apoiadores institucionais