Compliance e sua influência na reputação das empresas

 

As empresas brasileiras cada vez mais se preocupam em ter sua marca associada à confiança, credibilidade e diferencial. Em tempos de escândalos de corrupção, ser uma organização ética e transparente é uma exigência no mercado. Por isso, o nome compliance está cada vez mais popular entre as empresas públicas e privadas.

 

O Departamento de Compliance é o responsável por garantir o cumprimento de todas as leis nas atividades da empresa. Sua função é monitorar todas as rotinas internas, atuar na prevenção de conflitos, fiscalizar cumprimento de regulamentos, sugerir melhorias e manter a organização em conformidade ética.

 

Atualmente, investir em programas de compliance é como possuir uma espécie de “selo de ética”. Corporações que adotam esse novo olhar têm vantagem sobre outras, por destacarem sua boa reputação e integridade. A empresa passa a ser vista como mais segura para se trabalhar, representando menos risco de envolvimento em atos ilegais ou ilícitos. Segundo agências reguladoras internacionais, os principais elementos de um programa de compliance eficiente são: autonomia, códigos de ética, políticas e procedimentos internos, treinamento e comunicação, análise periódica de riscos, registros contábeis claros, ouvidoria, investigações internas, medidas disciplinares, programas de melhoria contínua e incentivos.

 

Devido à importância e demanda, serviços especializados para áreas de compliance já são oferecidos nas mais diversas modalidades. Estar em conformidade com a lei e cumprir normas institucionais se tornou regra para empresas que desejam ser lembradas pela boa reputação. O Instituto Compliance Brasil, fundado em 2014, é uma associação que busca promover a cultura de compliance, disseminando e fomentando o debate na área. No site compliancebrasil.org, você pode conferir diversos artigos e publicações sobre o tema, propiciando a difusão de informações adequadas, didáticas e de fácil acesso a todos os setores da sociedade.

Mantenedores

Apoiadores institucionais