Cobertura do Fórum de Relações Trabalhistas

 

Com o objetivo de esclarecer as mudanças e os impactos da Reforma Trabalhista, a ABRH-RS promoveu o XII Fórum de Relações Trabalhistas. Dentre diversas impressões, opiniões, informações, o evento reuniu especialistas no assunto de diferentes atuações para explicarem os efeitos da aprovação da reforma, melhorias e possíveis dúvidas. Na abertura do encontro, que ocorreu no Grêmio Náutico União (GNU) em Porto Alegre, o presidente da ABRH-RS, Orian Kubaski, afirmou que esta proposta está no DNA da instituição. “Temos o dever de levar os principais debates aos nossos associados e ao público em geral”, afirmou. Segundo o presidente foram mais de 70 anos sem a atualização no formato da legislação e disse que “nunca se teve uma contribuição tão importante para as relações trabalhistas tal como esta proposta”.

 

O gerente Regional do Instituto Brasileiro de Governança Trabalhista, César Pasold, respondeu a pergunta “O que muda na relação entre empresas e empregados?”, que era o nome do seu painel. “Muda tudo. Com potencial para ser de maneira positiva. É um ferramental tão novo que me assusta e, como tudo, caso empregado de maneira errada trará questionamentos”, relatou. Dentre os vários exemplos práticos, Pasold citou que a partir de então a definição da vestimenta fica por conta do empregador, o que taxou como uma obviedade porém agora está escrito na lei, e a exclusão do tempo de trajeto, que segundo ele “é um convite à empregabilidade”. Citando o fim da contribuição sindical obrigatória, o palestrante informou que a partir de então estas instituições deverão se reinventar e sair da zona de conforto para atrair filiados.

 

Seguindo esta linha, a abordagem desta nova relação entre empresas e sindicatos ficou sob responsabilidade do diretor Jurídico da ABRH Brasil, Wolnei Ferreira, que taxou: muitos assuntos só serão resolvidos nesta relação mediante o desenrolar dos acontecimentos na prática”. Era preciso, segundo ele, simplificar o acesso do trabalhador aos seus direitos, desobstruir as barreiras sindicais. “Os sindicatos até este momento nunca fizeram esforço para algumas questões, como a representação obrigatória por exemplo, pois isto os enfraquecia”, falou.

 

Já o Juiz Titular da 2ª Vara do Trabalho de Novo Hamburgo, Alexandre Schuh Lunardi, traçou um histórico referente à legislação em debate no Brasil e garantiu: “A reforma veio para regulamentar alguns pontos, não para acabar com benefícios. Grande parte dos artigos da atual CLT estão ali por mera proposição, pois não regulam muita coisa”. Lunardi expôs que de 43 até 74, por exemplo, a única regulamentação que existia eram os primeiros artigos, que consistem no trabalho para determinada empresa e no pagamento deste empregador ao colaborador pela atuação. “É evidente que precisamos atualizar esta relação de trabalho, pois ela é completamente diferente da época na qual foi concebida”, ponderou.

 

“O que a reforma faz é uma atualização da vida. O posto dos cerca de 13,5 milhões desempregados nunca mais voltará. Os profissionais retornarão ao mercado e o nível de trabalhadores inativos pode chegar perto do zero, mas estes postos não irão voltar”, conceituou o advogado e vice-presidente da FEDERASUL, André Jobim de Azevedo. Sob outro ponto de vista, o palestrante afirmou que o projeto trará uma maior exigência e responsabilidade para todas as partes envolvidas na relação trabalhista. “Esta reforma muda todas as nossas vidas, das futuras gerações, tamanha a profundidade dela”, concluiu.

3. 2º edição do Fórum Gestão e Desenvolvimento será em Passo Fundo

 

Alinhar o sucesso no trabalho com o propósito de vida tem sido uma busca constante na atualidade. Após o sucesso da primeira edição do Fórum Gestão e Desenvolvimento em Santa Maria - com mais de mil participantes aplaudindo entusiasmadamente as apresentações dos palestrantes -, a ABRH-RS levará o evento para Passo Fundo, em parceria com a Prática Desenvolvendo Pessoas e Organizações. O encontro ocorrerá no Centro de Eventos Gran Palazzo, dia 8 de novembro, e debaterá o tema Negócios, Carreira e Propósito de Vida.

 

Estarão presentes no 2º Fórum Gestão e Desenvolvimento o professor e jornalista, Clóvis de Barros Filho; e a especialista em Psicologia Organizacional, Ligia Nery. Os palestrantes abordarão assuntos que tratam sobre a melhor gestão dos negócios sem deixar de lado as satisfações pessoais. O Fórum propõe uma discussão sobre como estar preparado para encarar as exigências de um mercado cada vez mais competitivo e equilibrar a busca pela realização com qualidade de vida.

 

Mais informações pelos telefones da ABRH-RS (51) 3254.8254 e Prática PF (54) 3045.2200. As inscrições podem ser feitas no site abrhrs.org.br.

Mantenedores

Apoiadores institucionais